Dia do Samba. Trem, Oswaldo Cruz e aprendizado


Por Thales Ramos (texto, fotos e vídeo) //

A ansiedade era grande. Fazia um tempo que não participava das comemorações do 2 de dezembro, Dia Nacional do Samba. Há alguns anos não embarcava no trem com samba, não comia o mocotó do Buraco do Galo, não fazia a preliminar na Central do Brasil e na Pedra do Sal. Junto comigo, a minha crioula e mais alguns amigos que nunca tinham ido ao evento.

O saldo foi positivo. O evento está mais organizado e o embarque nos trens está mais tranquilo. Chegando em Oswaldo cruz encontrei pessoas conhecidas, que assim como a minha trupe, nunca tinham participado da comemoração. Todas maravilhadas com as luzes e as barracas do bairro. Tiram foto do trem.Tiram foto da placa da estação.Teve show da Martinália no modesto palco principal, que lembra aqueles de festa de junina. Mas ela deu maior valor, foi ótimo.

Foi bom prosear um pouco com Edinho Oliveira, um dos caras de frente do samba do Buraco do Galo -que ocorre todo primeiro sábado do mês em Oswaldo Cruz- sempre com uma letra para trocar: ‘Nosso movimento cultural tem quinze anos, desafio alguém fazer isso sem patrocínio’.

Uma vitória e uma pena.

São coisas bonitas que o samba faz pela gente, infelizmente quase sempre não conseguimos retribuir á altura. Como quando choramos para pagar um pouco a mais na entrada para ver aquele sambista dar canja, aquele que pedimos para tirar foto e postar pros amigos.

Até ano que vem. Quem não foi, que vá. E é samba no rádio, no ipod. no celular o ano inteiro. Inté e Axé!

3 Respostas para “Dia do Samba. Trem, Oswaldo Cruz e aprendizado

  1. Desde que fui a primeira vez ao trem, em 2001, não consegui mais faltar. Todo ano é sagrado. É o dia mais bacana do ano pra mim. Depois de umas 2 edições mais caóticas, acho que em 2007 e 2008 (se não me engano), a coisa voltou a ficar boa e este ano, bateu recorde de organização. Só tem uma coisa que me deixa triste em Oswaldo Cruz e que deve ser resolvida para sempre: faltam lixeiras no bairro. Na caminhada da plataforma até a portelinha, não tinha nenhuma daquelas de rua… Na zona sul, há praticamente uma a cada poste. Precisamos reclamar por isso! A população local merece viver num lugar mais limpo. No mais, OC é só alegria e o samba, a melhor trilha sonora que há! :-)

  2. Pois é, este evento do pagode do trem que mobiliza hoje milhares de pessoas de varias partes do Estado e porque não dizer do pais e do mundo.Surgiu com o objetivo de reivindicar melhorias para este bairro, no inicio da década de 90, chamou-se mov. Acorda Oswaldo Cruz, fruto das inúmeras necessidades que o bairro tinha e continua tendo. O samba foi uma das maneiras de traduzirmos essas reivindicações justas e necessárias,para o nosso bairro. Lamentavelmente essa realidade ainda não foi concretizadas. De lá pra cá passaram-se inúmeros prefeitos e governa-dores, pouca coisa mudou,a não ser o numeroso publico que aderiu esse movimento feito por nós hoje,mais com referencia nos velhos bambas do samba de humilde bairro chamado, Oswaldo Cruz, que a todos ainda seduz em sua arte de fazer samba. Seguimos na resistência cultural, cobrando o que é nosso de direito.Melhoria JÁ.
    Salve Oswaldo, salve o nosso samba de cada dia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s